Neste canal são encontradas as séries históricas e estatísticas divulgadas pelo IBGE. Os dados podem ser consultados online através de tabelas, gráficos e mapas temáticos ou baixados para análise posterior.

Ocultar/Exibir Tema:
atividade industrial - indústrias extrativa e de transformação

O acompanhamento da atividade industrial no Brasil, até 1985, era feito por dois tipos de levantamentos: os censitários que, em princípio, abrangem o universo de estabelecimentos industriais e os levantamentos em períodos intercensitários, que abrangem um conjunto mais reduzido de informantes.

A comparabilidade dos dados das pesquisas dos censos industriais e das pesquisas intercensitárias, ou a comparabilidade entre ambas, exige cautela, visto a existência, dentre outros, de problemas de ordem conceitual, ou aqueles gerados pelo uso de diferentes fontes de dados ao longo de um período. No primeiro caso, nas pesquisas censitárias, é conhecido o problema da definição da linha demarcatória entre produção industrial e a de pequenas oficinas, tais como as de alfaiates, costureiras, consertos de equipamentos, etc. No caso das pesquisas intercensitárias, ao longo do tempo, houve mudanças de fonte dos dados no acompanhamento da atividade industrial: até 1939, a fonte eram as estatísticas de Imposto de Consumo;  para a década de 1940, os dados provinham do Registro Industrial do Dpto.Nac.Ind.Com., sendo a responsabilidade pela coleta e divulgação de dois diferentes órgãos públicos: Mn. Agricultura e Mn. Trabalho, Industria e Comércio. Disto resultou dificuldades na comparabilidade dos dados dessa década; a partir de 1944, o IBGE passou a efetuar inquéritos anuais e somente a partir de 1971 os Indices mensais foram primeiro publicados.

Ver Versiani, F. Rabelo e Considera, C. Monteiro: Indústria. In IBGE, Estatísticas Históricas do Brasil. Séries Econômicas, Demográficas e Sociais 1550 a 1988. 2a. Edição, 1990 pp. 357-443.
                                             ...

Fontes de dados:
A atividade industrial no Brasil através das pesquisas do IBGE

- Censo Industrial e Pesquisa Anual da Indústria

Desde a década de 1920, ainda no âmbito da renovada Diretoria Geral de Estatística (1915),  o acompanhamento da atividade industrial no Brasil vem sendo feito através de pesquisas, inicialmente censitárias e a partir de 1967, também pesquisa anual. Em 1985 foi realizado o último Censo Industrial que, então, foi substituido pela Pesquisa Industrial Anual (PIA). Ao longo deste período, compreendido entre 1967 e a década de 2000, a PIA sofreu revisões e mudanças metodológicas. 
Sobre isto ver 
Histórico da Pesquisa Industrial Anual e  Regist Boneli: Nível de Atividade e Mudança Estrutural. In Estatísticas do Século XX. IBGE : Rio de Janeiro, 2007. pp 371-409).

- As Pesquisas Mensais

As pesquisas mensais, ou conjunturais, foram implantadas em 1971  no IBGE, inclusive para suprir as deficiências oriundas das descontinuidades da PIA. O sistema das pesquisas industriais mensais (PIM) inclui duas modalidades: a modalidade Produção Física (PIM-PF) e a modalidade Dados Gerais (PIM-DG). Desde a sua implantação, ambas sofreram transformações, tanto de cobertura quanto metodológica. Uma destas mudanças data de 1975, quando os índices de produção física (PIM-PF) passaram a ser divulgados por gêneros de indústrias e por categorias de uso dos bens produzidos. Em 2001, a PIM-DG foi substituída pela Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salários - PIMES.

Subtema:
índices mensais de emprego e salário
Periodicidade: Mensal Período: 2002/dez-2012/dez
Ocultar/Exibir Definição e comentário

Definição:
número de horas pagas (NHP)

Número total de horas pagas ao Pessoal Ocupado Assalariado — inclusive as horas extras —, durante o mês de referência, mesmo que estejam afastadas do serviço ativo por prazo não superior a 30 dias. São calculados indicadores também para o número de horas pagas por pessoa assalariada, apresentados sob a denominação de Número Médio de Horas Pagas.

- índice acumulado no ano
Compara a produção acumulada no fechamento ( dezembro) de cada ano. Apresenta-se, portanto, apenas
a  informação referente a esse fechamento em dezembro.






Comentário:

- A Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário produz indicadores de curto prazo (mensal) relativos ao comportamento do emprego e dos salários nas atividades industriais:  pessoal ocupado assalariado, admissões, desligamentos, número de horas pagas e valor da folha de pagamento em termos nominais (valores correntes) e reais (deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA).
A unidade de coleta são as empresas que possuem unidades locais registradas no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ, e reconhecidas como industriais pelo Cadastro Central de Empresas do IBGE.

Abrangência geográfica:
Brasil, regiões Norte/Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul;
Pernambuco, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

2 - Para a maioria dos locais investigados pela PIMES, os resultados abrangem 18 atividades industriais. A exceção é o Espírito Santo, com 17, pois não há atividade de fumo no estado.

3 - Para saber mais, ver Notas Metodológicas em 'www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimes/notas_metologicas.shtm'.

Tipo de dado: Relativo
Abrangência Geográfica: Unidade Territorial: Localidade:

Fonte:
IBGE, Pesquisa Industrial Mensal Emprego e Salário 2002-2012
Consulte os metadados

Ocultar/Exibir  Nota   

1. Quando se trata do Índice Acumulado no Ano, são considerados apenas os valores do  fechamento de cada ano ( dezembro);
2.A abrangência geográfica da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, além do Brasil, cobre as Regiões Geográficas Norte/Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul e  10 estados selecionados: Pernambuco, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.








IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística